Esse blog, é uma janela para o mundo, porque são tantos destinos para uma só vida

Esse blog, é uma janela para o mundo, porque são tantos destinos para uma só vida

Álbum de viagem

Eduardo Ewert

 Berlim  é uma das cidades mais pulsantes e multiculturais da Europa e está sempre em constante transformação. Oito anos que separaram da minha primeira visita e pude perceber que muita coisa já mudou: Mitte já não é tem mais aquele hype, talvez devido ao processo de gentrificação do bairro e que levou ao fechamento Kunsthaus Tacheles, uma luxuosa galeria comercial destruída na 2ª. Guerra que foi ocupada por artistas após a queda do Muro, um dos locais mais incríveis que já conheci. A região da Zoo Station, antes cercada por lojas populares e de gosto duvidoso, agoratransformada em novo ponto da moda com a abertura de novos hotéis e um novo shopping conceito: a Bikini Gallery. E ainda tem muito mais por vir como a polêmica reconstrução do Berliner Stadtschloss, antigo palácio dos reis e imperadores e demolido na década de 50 no regime comunista, e a ocupação de áreas ao longo do rio Spree em Friedrichshan, por onde passa a East Side Gallery. Basta olhar para o horizonte ver a quantidade de gruas, guindastes e tapumes de obras.
Apesar das transformações inevitáveis, Berlim é um museu a céu aberto e uma das cidades que melhor ilustra os acontecimentos mais sombrios do século XX: a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Fria. É impossível não ficar indiferente ao visitar o Monumento do Holocausto, a Topografia do Terror, o Museu do Muro que documenta as tentativas desesperadas de fugir da Alemanha Oriental, Palacio das Lagrimas(Tränempalast), um dos locais onde parentes e amigos separados pelo Muro se despediam.
Mas, apesar do passado cinza, que inspirou gente como David Bowie e Wim Wenders, a nova cor de Berlim é o verde. A cidade é cheia de árvores, praças e parques, mas que para os berlinenses nunca é o bastante. Afinal, qual cidade pode se dar um luxo de fechar um aeroporto para transformá-lo em um parque? (Pense no nosso Congonhas...) Rios e canais com águas limpas, ciclofaixas (acidade é maravilhosamente plana), containers de reciclagem em que você tem que separar o vidro descartado pela sua cor, hortas e jardins comunitários. Berlim é verde, tal qual o Ampelmann, o famoso boneco do semáforo de pedestres que foi utilizado na parte oriental, que caminha de cabeça erguida e em passos firmes em direção ao futuro.



Retratinho

 Meu primeiro passaporte foi tirado em 26 de junho de 1974 para minha primeira viagem internacional, fui para a Disney com a minha mãe e as minhas irmãs. O passaporte tinha validade de dois anos e era todinho escrito a mão.




2 comentários:

Mabou 35 Agência de Fotografia Documental disse...

Muito legal. Sempre ouvi falar bem de Berlim. Quem por lá passou teve experiências fantásticas.

Elisa Stecca disse...

Manda uma foto sua e nós postaremos com alegria o seu roteiro
elisasteccacomerce@gmail.com
Obrigada